Links da semana


Saul Bellow (Fonte: Awesome People Reading)

Curiosidades:

  • Erico Verissimo e Incidente em Antares: veja a íntegra do bate-papo entre Luis Fernando Verissimo e Sérgio Rodrigues (Blog do IMS)
  • Um atalho para quem quer ter a parede cheia de livros mas ainda não possui muitos exemplares: um papel de parede imitando estantes (Mr. Perswall)
  • Carola Saavedra fala sobre a terrível missão enfrentada por tradutores diante das inúmeras possibilidades que um texto ficcional apresenta. (Jornal Rascunho)
  • A edição de fevereiro do jornal Cândido, da Biblioteca Pública do Paraná, já encontra-se online. (BibliotecaPR)
  • Uma lista com os melhores tumblrs literários, classificados por tema (The Millions)
  • H.L. Mencken fala sobre o sentido da vida (Letters of note)

Notícias:

  • Rooney Mara diz que está ansiosa para gravar a continuação de Os homens que não amavam as mulheres (Omelete)
  • Angeli e Laerte planejam nova revista em quadrinhos (Blog dos Quadrinhos)

Entrevistas:

  • José Luís Peixoto, autor de Livro: “Nasci numa pequena vila do interior do país, com cerca de mil habitantes, onde não existiam muitos livros, mas onde esses objetos eram considerados com muito respeito. Recordo o meu padrinho, por exemplo, que morreu com 104 anos, que trabalhou na terra até aos 96 anos, e que possuía uma meia dúzia de livros, que ficavam arrumados numa estante, em lugar de destaque. Não importava saber quem os tinha escrito ou a matéria que tratavam, eram “os livros”. Por serem livros, mereciam respeito e, imaginávamos, teriam sido escritos por alguém importante, alguém de outro meio, de outra dimensão. Foi a partir dessa perspectiva que cresci até chegar a hoje, que sou escritor e que desenvolvo toda a minha vida entre livros.” (Estadão)
  • Blandina Franco e José Carlos Lollo, autores de O peixe e a passarinha: “Eu e Lollo criamos todas as histórias juntos, às vezes nem sei dizer o que é feito primeiro. A gente senta e começa a contar história um pro outro, até que uma delas ganha vida sozinha. Quando a gente vê, ela se contou pra gente.” (Folha)

Resenhas:

  • Crônica de um vendedor de sangue, de Yu Hua: “Apesar da tragédia social que se aproxima, e mesmo quando ela já está em cena, continua havendo humor em Yu Hua. Uma lembrança forte é Graciliano Ramos.” (Daniel, Amálgama)
  • O romancista ingênuo e o sentimental, de Orhan Pamuk: “Independente de qual seja o objetivo do leitor quando começa um romance — adquirir um conhecimento profundo sobre si mesmo ou apenas entreter-se — ou do autor quando começa a escrevê-lo — descobrir um sentido para a vida ou amealhar alguns trocados a mais na conta bancária —, o que Pamuk nos mostra em seu livro é que todos que recorremos à literatura procuramos basicamente uma mesma coisa: uma forma alternativa de transcendência e fruição às opções que a sociedade, de um modo geral, nos impõe no dia-a-dia.” (Ivan, O Espanador)
  • Diário da queda, de Michel Laub: “O livro é um monólogo, um diário desencadeado por velhas memórias, que traz o passado de volta à luz e expõe seus traumas não pela nostalgia, dor ou agonia, mas pelo futuro. Para que as próximas gerações conheçam sua história e a entenda, perceba a importância desse passado doloroso.” (Taize, Meia Palavra)
  • Cartas a um jovem contestador, de Christopher Hitchens: “o jornalista instiga a percepção da coragem, a autocrítica e principalmente a qualidade do que se pensa. Hitchens me faz lembrar o tamanho da pedra do meu sapato e provoca elegantemente a não tolerar o abuso de autoridade, a intimidação, o racismo, o pré-conceito, a opinião de massa inconsciente” (Acelera a causa)
  • O professor e o louco, de Simon Winchester: “Num mundo em que dicionários são fator comum, disponíveis nas mais diferentes plataformas e formatos e em todos os idiomas possíveis; é difícil conceber a monstruosidade e ambição do projeto do Oxford English Dictionary.” (Kika, Meia Palavra)

2 Comentários

  1. AlcinaAugusta Lapa disse:

    Quando eu quero saber da qualidade de um livro que está a venda, verifico a editora se for Cia das letras é qualidade com certeza

  2. Oi pessoal da CIA das Letras! Obrigado pela dica da minha resenha! Abraços! Vinícius dos Santos

Deixe seu comentário...