A carta de Mr. Mercedes

2667858675_be65e6cbc5

Stephen King volta às livrarias brasileiras no dia 11 de março com Mr. Mercedes, thriller policial que apresenta o personagem Bill Hodges. Na narrativa, Hodges é um detetive recém-aposentado assombrado por um caso não resolvido: o atropelamento e assassinato de oito pessoas por um Mercedes prateado. Ao receber uma carta do homem que se autodenomina “O Assassino do Mercedes”, Hodges encontra nova motivação para continuar sozinho a investigação.

Hoje no blog, reproduzimos um trecho desta carta que marca o momento em que Stephen King começa a mergulhar com maestria na mente psicótica do assassino. Mr. Mercedes é o primeiro volume da Trilogia Bill Hodges, seguido por Achados e perdidos (lançamento em maio) e End of Watch (título original do volume previsto para julho).

 

* * *

 

Prezado Detetive Hodges,

Estou escrevendo por vários motivos, mas tenho que começar parabenizando-o por seus anos de serviço, 27 como detetive e 40 ao todo. Vi parte da sua Cerimônia de Aposentadoria na TV (Canal Público 2, um recurso ignorado por muitos) e acabei descobrindo que houve uma festa no Raintree Inn perto do aeroporto na noite seguinte.

Em um artigo (publicado na mesma data de sua Cerimônia de Aposentadoria), seu parceiro de longa data descreveu você como “uma combinação de disciplina e intuição brilhante”.

Se isso for verdade, e acho que é, já deve ter descoberto que sou um dos poucos que você não conseguiu capturar.

Tenho certeza de que você fez “o melhor que pôde”, mas infelizmente (para você, não para mim) você falhou. Imagino que, se já houve um “bendito” que você quis pegar, Detetive Hodges, foi o homem que dirigiu deliberadamente para cima da multidão na fila para a Feira de Empregos no City Center no ano passado, matando oito e ferindo muitos mais. (Devo dizer que superei até minhas maiores expectativas.)

Preciso falar que foi muito divertido.

Ainda revivo os ruídos daquele dia, o som dos ossos sendo esmagados e a forma como o carro sacudiu nos amortecedores quando passou por cima dos corpos. Se quiser poder e controle, é só pegar um Mercedes de 12 cilindros!

Agora, você deve estar pensando: “Mas que tipo de Pervertido doente é esse?” A maioria das pessoas recebe Botas de Chumbo quando criança e precisa usá-las pelo resto da vida. Essas Botas de Chumbo são chamadas de consciência. Não tenho isso, então me permito fazer muito mais coisas do que a Galera Normal. E se tivessem me pegado? Provavelmente seria preso e julgado, e teria alegado insanidade. Talvez eu até seja mesmo insano (a ideia já passou pela minha cabeça), mas é um tipo peculiar de insanidade. Só que os ventos sopraram ao meu favor e eu fugi.

A névoa ajudou!

Detetive Hodges, não tenho necessidade alguma de fazer aquilo de novo. Tenho minhas lembranças, ainda claras como água.

Como pode ver, nós dois somos aposentados.

Posso concluir esta carta com uma Nota de Preocupação?

Pesquisei na internet e descobri que a taxa de suicídios entre policiais aposentados é extremamente alta!

Penso em você, sozinho na sua casa na Harper Road, Detetive Hodges, e fico preocupado. Anda assistindo à TV sem parar? Está bebendo mais? As horas passam mais devagar porque sua vida agora está tão vazia? Você está sofrendo de insônia? Caramba, espero que não.

Mas tenho medo de que seja esse o caso!

Eu não iria querer que você começasse a pensar na sua arma.

Mas você já está pensando, não está?

Brincadeirinha!

Com carinho,

O ASSASSINO DO MERCEDES

PS: Quer fazer contato comigo? Oferecer seu “feedback”? Experimente o site Under Debbie’s Blue Umbrella. Até arrumei um nome de usuário para você: “kermitsapo19”. Posso não responder, mas “ei, nunca se sabe”.

PPS: Espero que esta carta tenha alegrado você!

Tradução de Regiane Winarski.

Neste post