Semana quatrocentos e dois

Companhia das Letras

21 lições para o século 21, de Yuval Noah Harari. Também disponível em audiobook.

O novo livro do autor de Sapiens e Homo Deus explora as grandes questões do presente e o que podemos fazer para melhorá-lo.

Dostoiévski: Um escritor em seu tempo, de Joseph Frank (tradução de Pedro Maia Soares)

Nesta edição condensada da biografia definitiva de Fiódor Dostoiévski, Joseph Frank usa a história cultural da Rússia como pano de fundo para reconstituir a vida e a obra de um dos grandes escritores do século XIX.

Coração azedo, de Jenny Zhang (tradução de Ana Guadalupe)

Nesta aclamada coleção de contos, Jenny Zhang constrói um retrato franco e subversivo da experiência de imigrantes asiáticas nos Estados Unidos. Eleito um dos melhores livros de 2017 por The New Yorker e The Guardian.

Companhia das Letrinhas

Leocádio, o leão que mandava bala, de Shel Silverstein (tradução de Antonio Guimarães)

Este é o primeiro livro que Shel Silverstein, autor do sucesso A parte que falta, escreveu para as crianças. Leocádio convida seus leitores a refletirem sobre o consumismo, as aparências e a natureza humana com muito humor.

Objetiva

Maria Bonita: Sexo, violência e mulheres no cangaço, de Adriana Negreiros

A mulher mais importante do cangaço brasileiro, que inspirou gerações de mulheres, ganha agora sua biografia mais completa e com uma perspectiva feminista. Embora a mitificação da imagem de Maria Bonita tenha escondido situações de constante violência, ela em nada diminui o caráter transgressor da Rainha do Sertão.

Penguin

Noites brancas, de Fiódor Dostoiévski (tradução de Rubens Figueiredo)

Em Noites brancas, o jovem Dostoiévski mostra a sua versatilidade como escritor de gênero breve ao abordar um encontro inesperado entre um homem e uma mulher que se repetirá por quatro noites.

O eterno marido, de Fiódor Dostoiévski (tradução de Rubens Figueiredo)

Escrito entre Os demônios e O idiota e descrito pelo biógrafo Joseph Frank como "uma pequena obra-prima", O eterno marido traz Dostoiévski em sua melhor forma como um dissecador implacável das peculiaridades e fraquezas do caráter humano.

Reimpressões

Malala e seu lápis mágico, Malala Yousafzai (ilustração de Kerascoët) (tradução de Lígia Azevedo)

Malala: a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca (ilustração de Bruna Assis Brasil)

O demônio do meio-dia, de Andrew Solomon (tradução de Myriam Campello)

O poder do hábito,  de Charlies Duhigg (tradução de Rafael Mantovani)

Outsider, de Stephen King (tradução de Regiane Winarski)

Neste post