Lançamentos da semana na Companhia das Letras (18/06 a 22/06)

Companhia das Letras

Ninguém precisa acreditar em mim, de Juan Pablo Villalobos (tradução de Sérgio Molina)

Em seu novo romance, que recebeu o prêmio espanhol Herralde de Novela 2016, o autor da festejada trilogia mexicana narra as peripécias caóticas e hilariantes de um estudante de literatura em Barcelona.

Meu livro violeta, de Ian McEwan (tradução de Jorio Dauster)

Dois textos inéditos de um dos maiores ficcionistas da atualidade, reunidos no marco da celebração de seus 70 anos.
Apresentação

A criança no tempo, de Ian McEwan (tradução de Jorio Dauster)

Do autor de Reparação e Enclausurado e vencedor do Man Booker Prize, um romance contundente sobre a dor do desaparecimento de um filho.

Seguinte

Céu sem estrelas, de Iris Figueiredo

Um romance sensível e envolvente sobre autoestima, família e saúde mental.

Suma

A máquina do tempo (edição especial), de H.G. Wells (tradução de Braulio Tavares)

O primeiro e mais famoso livro sobre viagem no tempo chega em edição especial, com ilustrações inéditas, tradução primorosa e extras. Ao contar a história de um cientista inglês que embarca em uma fabulosa jornada a um mundo futuro, desconhecido e cheio de mistérios, H. G. Wells inaugura um dos principais temas da ficção científica.

Quadrinhos na Cia.

A origem do mundo, de Liv Strömquist (tradução de Kristin Lie Garrubo)

Por que as sociedades alimentaram uma relação tão esquizofrênica com a vagina ao longo dos séculos? Por que a menstruação é um tema apagado de nossa cultura quando costumava ser algo sagrado para os povos ancestrais? A origem do mundo escancara interditos e desafia mitos e tabus. Um livro genial, catártico e absolutamente necessário.

Objetiva

O fim do Alzheimer, de Dale E. Bredesen (tradução de Cássio de Arantes Leite)

Todo mundo conhece alguém que se curou do câncer, mas ninguém conhece quem tenha sobrevivido ao Alzheimer – até agora. Best-seller do New York Times, um livro que reescreverá a história do Alzheimer.

Penguin-Companhia

Utopia, de Thomas More (tradução de Denise Bottmann)

Um dos textos mais importantes da filosofia política de todos os tempos, que inaugura um gênero literário popular até hoje, Utopia é a perfeita definição de clássico e permanece uma leitura incontornável para todos de pensamento humanista.

Alfaguara

De espaços abandonados, de Luisa Geisler

De espaços abandonados é um mosaico narrativo de várias vozes, um livro sobre procurar alguém e se perder no processo. Nele, Luisa Geisler constrói com maestria uma trama complexa com personagens envolventes que desafiam os limites das páginas.

Reimpressões

Livro de sonetos, de Vinicius de Moraes

A seleção, de Kiera Cass

Boa companhia - Crônicas, de Vários Autores

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket, de John Boyne

A cozinha encantada dos contos de fadas, de Katia Canton

A visita, de Antje Damm

É um livro, de Lane Smith

Em cima daquela serra, de Eucanaã Ferraz

Histórias da Cazumbinha, de Marie Ange Bordas

João e o Bicho-Papão, de Sinval Medina

Macacos me mordam!, de Ernani Ssó

O Clube dos Contrários, de Sílvia Zatz

O tesouro do balacobaco, de Cláudia Vasconcellos

Será que eu divido o meu sorvete?, de Mo Willems

Querido mundo, como vai você?, de Toby Little

As barbas do imperador, de Lilia Moritz Schwarcz

Leonardo da Vinci e seu supercérebro, de Michael Cox

Tudo depende de como você vê as coisas, de Norton Juster

Neste post