Lista de motivos pelos quais você deveria conhecer o livro "Listas extraordinárias"

Por Camila Berto

 

Listas extraordinárias é um dos lançamentos da Companhia das Letras de novembro. Organizado por Shaun Usher, o mesmo de Cartas extraordinárias, o volume reúne uma seleção de 125 listas escritas por políticos, músicos, cientistas e escritores, entre outros personagens célebres.

No mesmo espírito do livro, tomei a liberdade de enumerar os motivos pelos quais eu acho que você deveria conhecer Listas extraordinárias. Assim como todas as outras listas presentes na obra, esta que segue é completamente pessoal e parcial.

 

1. Você pode aplicar o conteúdo das listas na sua vida pessoal.

Em 1838, Charles Darwin ponderou “Companhia constante, (& amiga na velhice) interessada em mim” versus “Menos dinheiro para livros etc.” para decidir se deveria se casar. Não há dúvidas de que esses motivos podem ajudar você a pensar se quer ou não tomar o próximo passo com alguém especial.

2. Você tem a lista de materiais necessários para construir um telescópio.

A lista foi escrita em 1606 por Galileu Galilei, e a invenção resultou numa das maiores revoluções da ciência. Quem sabe alguma dessas listas não te inspira a criar algo também?

3. Você pode conhecer outro lado de figuras marcantes da história.

Quase esquecemos que o punk Sid Vicious era um dos maiores rebeldes de sua época ao lermos a lista sincera que fez sobre as qualidades da namorada Nancy Spungen, que incluem “fantástico senso de humor” e “até os pés são sexy”.

4. O livro é muito eclético — e este item complementa os anteriores.

De regras de convivência a conselhos políticos, de lista de livros favoritos a recomendações sobre como educar os filhos, é impossível não conhecer os autores e se identificar com as listas que escreveram. No fim, a sensação que temos ao ler Listas extraordinárias é que todas essas figuras eram gente como nós.

5. O livro é visualmente muito bonito.

Todas as páginas são coloridas e ilustradas por uma variedade imensa de fotos e fac-símiles (bônus: dá para conhecer a caligrafia de ídolos como Johnny Cash e Kurt Cobain). Além disso, as listas acompanham um pequeno texto explicando o contexto em que foram escritas.

6. É uma leitura leve e agradável, que não precisa ser feita de forma ordenada.

Algumas surpresas que você pode encontrar ao abrir o livro ao acaso: a lista de possíveis nomes para os sete anões da Branca de Neve, a lista de exigências para o bom funcionamento do casamento de Albert Einstein e a lista de tarefas de Leonardo da Vinci.

7. Este é o último livro traduzido pela Hildegard Feist.

A Hilde traduziu dezenas de títulos do inglês, do francês e do espanhol para os selos Companhia das Letras, Penguin-Companhia e Companhia das Letrinhas — incluindo o Cartas extraordinárias — e infelizmente faleceu em 2016. Este livro de listas escritas por personagens diversos sobre temas variados simboliza os muitos anos de trabalho dela junto à Companhia.

8. Este é o primeiro livro de que eu cuidei na Companhia das Letras.

O que me faz ter um carinho especial por ele. O Listas não me ensinou apenas sobre editar livros, mas sobre a história e os personagens que admiro. Da mesma forma, tenho certeza de que todo mundo pode aprender alguma coisa com ele (e não só a minha mãe, que por enquanto é a única pessoa que eu tenho certeza de que vai comprar um exemplar).

* * * * *

Camila Berto trabalha no departamento editorial da Companhia das Letras (e agradece a todas as pessoas envolvidas na produção do livro Listas extraordinárias pelo trabalho conjunto e pela paciência em ensinar).

 

Neste post