Semana quatrocentos e dezessete

Companhia das Letras

Se a rua Beale falasse, de James Baldwin (tradução de Jorio Dauster)

O livro inspirou o filme homônimo de Barry Jenkins — diretor do premiado "Moonlight" —, que chegará aos cinemas no dia 7 de fevereiro. A capa do livro segue o projeto gráfico de Daniel Trench para os livros de Baldwin publicados pela Companhia das Letras. A primeira tiragem terá também uma sobrecapa especial com o pôster do filme.

 

Lançado em 1974, o quinto romance de James Baldwin narra os esforços de Tish para provar a inocência de Fonny, seu noivo, preso injustamente. Livro que inspirou o filme homônimo dirigido por Barry Jenkins, vencedor do Oscar por Moonlight.

Tish tem dezenove anos quando descobre que está grávida de Fonny, de 22. A sólida história de amor dos dois é interrompida bruscamente quando o rapaz é acusado de ter estuprado uma porto-riquenha, embora não haja nenhuma prova que o incrimine. Convicta da honestidade do noivo, Tish mobiliza sua família e advogados na tentativa de libertá-lo da prisão.
Se a rua Beale falasse é um romance comovente que tem o Harlem da década de 1970 como pano de fundo. Ao revelar as incertezas do futuro, a trama joga luz sobre o desespero, a tristeza e a esperança trazidos a reboque de uma sentença anunciada em um país onde a discriminação racial está profundamente arraigada no cotidiano. 
Esta edição tem tradução de Jorio Dauster e inclui posfácio de Márcio Macedo. 

 

Neste post