Semana trezentos e cinquenta e nove

Companhia das Letras

Nem vemde Lydia Davis (tradução de Branca Vianna)

Lydia Davis inaugurou um gênero literário para chamar de seu. O estilo desafia qualquer tentativa de classificação: não é exatamente poesia, nem conto, nem ficção, nem memória. Nem vem reúne 122 narrativas que se equilibram entre relatos de sonhos, passagens reescritas de Flaubert, cartas para gerentes de marketing, relatos de situações cotidianas, conversas entreouvidas e obituários locais. Seja observando o comportamento das vacas pela janela da cozinha, seja ponderando sobre o aspecto das ervilhas numa embalagem, a escritora deixa sua marca inconfundível que mistura inteligência, humor e uma boa dose de estranheza.

Maysade Lira Neto

Durante dois anos, Lira Neto se dedicou integralmente a reconstituir os passos da intérprete de clássicos como "Ouça" e "Meu mundo caiu". O resultado foi a aclamada biografia Maysa: Só numa multidão de amores, publicada pela primeira vez em 2007 e que agora ganha nova edição, com prefácio inédito do autor. Fruto de uma extensa pesquisa que envolveu cerca de duzentas entrevistas e acesso ao arquivo familiar da cantora — inclusive ao seu diário íntimo —, o livro retraça a trajetória da cantora nascida em 1936 no Rio de Janeiro, desvelando as camadas de uma das personalidades mais complexas da música brasileira. De seu casamento com André Matarazzo ao alcoolismo, dos problemas com a mídia às tentativas de suicídio, de seus amores às viagens, nada escapa ao olhar atento do biógrafo, que retrata com maestria uma vida marcada sobretudo pela intensidade. 

Penguin-Companhia

A educação sentimental, de Gustave Flaubert (tradução de Rosa Freire D'Aguiar)

Considerado por muitos a obra prima de Flaubert, este romance retraça a história de um jovem ávido por amor, riqueza e glória, mas que, em uma época de profundas turbulências políticas e sociais, cujo apogeu é a Revolução de 1848, revela-se incapaz de se engajar em uma causa. Esta edição conta com um prefácio inédito de Maria Rita Kehl, que relaciona o jovem Frédéric à mais famosa personagem criada pelo autor, Emma Bovary, além do texto clássico de Marcel Proust acerca do romance e do estilo de Flaubert.

Companhia das Letrinhas

Horton choca o ovo, de Dr. Seuss (tradução de Bruna Beber)

Horton é o elefante mais gente boa da floresta, sempre disposto a ajudar o próximo. É por isso que, quando a ave Maroca pede para ele chocar o ovo dela por um tempo, Horton aceita de bom grado. O que ele não esperava é que Maroca fosse tirar férias e deixá-lo em cima de uma árvore, chocando o ovo durante todo o inverno! Quando um grupo de caçadores vê essa cena tão incomum, Horton e o ovo são capturados — e esse é o começo de uma longa e emocionante aventura…

Seguinte

O beijo traiçoeirode Erin Beaty (tradução de Guilherme Miranda)

Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas. Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações. Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.

Alfaguara

A jaca do cemitério é mais doce, de Manoel Herzog

Santiago, filho único, cresceu na periferia do mundo. Sofreu na adolescência, nunca conseguiu se encaixar. Odiava a discoteca, a música dos Bee Gees. Finalmente, aos 21, entendeu que as mulheres não consideram um homem que não dance. Matriculou-se no curso de dança de salão e aprendeu que o homem, uma vez na pista, se move apenas da cintura para baixo. Entre suas saídas e seu trabalho massacrante na indústria, ele se apaixona por Natércia, que estudara com ele no colégio. Ela nunca lhe dera atenção, mas agora, vendo-o conhecedor dos segredos do samba de gafieira, deixa que Santiago se aproxime. A relação dos dois, apaixonada no início, doentia no final, é o fio condutor deste romance brilhante, cômico e incomum. A voz de Manoel Herzog remete a clássicos da literatura brasileira, e parte em busca de transformação na forma de contar uma história.

Paralela

Querido dane-sede Kéfera Buchman

Querido dane-se é a primeira ficção de Kéfera Buchmann, que, sem abandonar o bom humor de sempre, fala sobre autoestima, empoderamento e a importância de compreender os próprios desejos para se tornar alguém feliz. Sara tem muitos sonhos, mas também vários problemas para enfrentar. Para começar, seu namorado acabou de uma hora para outra com ela e por WhatsApp! Pouco depois, ela descobriu que o desgraçado está namorando uma socialite linda e admirada por muitos. Parou por aqui? Não: Sara, que é estilista de formação, mas trabalha como costureira, atualmente está de plantão na casa dessa socialite, arrumando as roupas dela. Enquanto lida com o ressurgimento do ex e tenta voltar a achar graça na solteirice, Sara sofre com seu maior medo: fazer trinta anos sem achar a sua cara-metade. Entre lágrimas e muita risada, no entanto, Sara começa a repensar sua vida. E a perceber que está diante de uma pessoa cujos anseios e gostos conhece pouco: ela mesma.

Objetiva

Obrigado pelo atraso, de Thomas L. Friedman (tradução de Cláudio Figueiredo)

Nossa vida está sendo transformada em tantos aspectos e de forma tão rápida que ficamos desnorteados. Em Obrigado pelo atraso, Thomas L. Friedman discute os grandes movimentos que estão redefinindo o mundo. Segundo o autor, para entender o século XXI é preciso entender que as três maiores forças do planeta — a tecnologia, a globalização e as alterações climáticas — mudam numa velocidade muito alta e de forma simultânea. Vivemos, como diz Friedman, uma era das acelerações, que transforma cinco pontos-chave da sociedade: o local de trabalho, a política, a geopolítica, a ética e a comunidade. Com otimismo, Friedman mostra que podemos superar os múltiplos estresses dessa nova era se diminuirmos a marcha, se ousarmos nos atrasar e usarmos esse tempo para reimaginar a sociedade.

Portfolio-Penguin

Nasci para isso, de Chris Guillebeau (tradução de Donaldson M. Garschagen)

Para quem vê de fora, uma pessoa que tem o emprego dos sonhos parece ter ganhado na loteria das profissões: com a sorte de fazer o que ama e ainda ganhar para isso! Mas achar um trabalho bacana não é uma questão de sorte ou acaso, e este livro mostra que existe sim um método para se encontrar a atividade certa para cada um de nós. Chris Guillebeau criou um guia prático para como conseguir isso — seja como funcionário de uma empresa ou optando por um caminho de profissional autônomo. O autor ensina uma série de lições para nos ajudar a descobrir o que queremos e como consegui-lo, sempre ilustradas com histórias inspiradoras daqueles que conseguiram a carreira dos sonhos, e em seguida explora um menu de opções pensadas para ajudar a pôr em prática esses ensinamentos.

 

Neste post