Semana trezentos e sessenta

 

Companhia das Letras

O homem que buscava sua sombra, de David Lagercrantz (tradução de Guilherme da Silva Braga)

Depois do best-seller A garota na teia de aranha, David Lagercrantz dá continuidade à genial série Millennium, de Stieg Larsson. Lisbeth Salander precisa passar um curto período atrás das grades, num presídio que também abriga uma das maiores criminosas da Suécia, de alcunha Benito. Na cela ao lado, ela observa uma jovem muçulmana acusada de matar o irmão sofrer ameaças constantes da gangue racista de Benito, a “dona” do pavilhão. Mesmo sem ter acesso ao mundo exterior, Lisbeth dá um jeito de descobrir mais sobre as partes encobertas de sua infância traumática, depois que Holger Palmgren lhe apresenta pistas sobre um experimento pseudocientífico realizado com gêmeos. Claro que ela irá acionar o destemido jornalista Mikael Blomkvist para ajudá-la a desvendar esse mistério e a defender os desprotegidos, garantindo que os vilões paguem por seus crimes. Assim, a dupla está mais uma vez no cerne de um romance de tirar o fôlego, que aborda de modo fascinante muitas das graves questões que assombram o mundo hoje.

O livro das listasde Renato Russo (organização de Sofia Mariutti e Tarso de Melo)

Além de artista compulsivo, dotado de uma criatividade sem limites, Renato Russo era também um ávido consumidor de toda forma de arte. Durante sua vida breve e produtiva, entre um palco e outro, estúdios e turnês, o líder da Legião Urbana usou todo seu tempo livre para descobrir novas obras e revisitar as que amava. Discos, livros, filmes, artistas e referências variadas eram rapidamente integradas ao vasto repertório de Renato, que organizava seu pensamento criativo por meio de listas, muitas listas. Feito a partir das anotações do artista, até hoje inéditas ao público, este livro apresenta um panorama de suas grandes influências acompanhadas de informações acerca dos artistas e obras mencionadas. Reveladoras dos temas de interesse que podem ter influenciado as composições de Renato, as listas não apenas serviam para classificar o que ele já conhecia e para indicar o que ele ainda pretendia ler, ouvir, assistir e viver, como também são uma forma de conhecer o processo criativo de um dos grandes nomes da cultura popular brasileira.

Companhia das Letrinhas

L de Livro, de Estúdio Logos

Nas páginas deste livro você pode achar facilmente um monstro, um pinguim, um helicóptero e até sushi! Mas o verdadeiro desafio é encontrar as letras escondidas nos traços de cada uma das figuras, de A a Z. Neste alfabeto, cada letra começa uma palavra e cada palavra é representada por um desenho cheio de cor, que dá vida às nossas letras e transforma a alfabetização em um processo muito divertido.

João do Pum, de Mario Prata (ilustrações de Caco Galhardo)

João Antonio Francisco Ronaldo Luiz da Silva poderia ser um cara comum, não fosse pelo fato de que ele soltava um pum atrás do outro — o que lhe rendeu o apelido de João do Pum na cidade. Era pum dormindo, pum trabalhando, pum escovando os dentes e tomando café da manhã. Qualquer um que encontrasse o João na rua logo pensava: “lá vem pum pela frente”. Até o dia em que um prédio da cidade pegou fogo e, contra a expectativa de todos, coube a João e seus puns salvar os cidadãos! Esta é a nova edição de O homem que soltava pum, lançado pela primeira vez em 1983.

Reimpressões

Legenda áureade Jacopo de Varazze (tradução de Hilário Franco Júnior)

Neste post