Semana trezentos e setenta e um

Companhia das Letras

O livro de Jôde Jô Soares e Matinas Suzuki Jr.

Prestes a completar oitenta anos e com verve mais afiada do que nunca, Jô Soares compartilha sua trajetória de astro midiático num livro de memórias escrito para fazer rir, chorar e, sobretudo, não esquecer. O primeiro volume resgata fatos, lugares e pessoas marcantes da juventude de Jô e reconstitui seus primeiros passos no mundo dos espetáculos, nas décadas de 1950 e 1960. Entre a infância dourada no Copacabana Palace e a dura conquista do estrelato, acompanhamos o autor do nascimento aos trinta anos. Os antecedentes familiares, a meninice privilegiada nos palácios da elite carioca, a mudança para um internato na Suíça, os marcos da formação cultural do futuro showman na adolescência, a paixão pelo jazz, a estreia modesta em pontas no cinema e na televisão, o primeiro casamento e, finalmente, a conquista do sucesso numa São Paulo fervilhante: tudo que você sempre quis saber sobre Jô, ele mesmo conta, com o talento narrativo do romancista de O Xangô de Baker Street e O homem que matou Getúlio Vargas.

 

Guerra e pazde Liev Tolstói (tradução de Rubens Figueiredo)

“O que é Guerra e paz?”, questiona Liev Tolstói em um texto que detalha o processo de pesquisa e de criação de sua obra-prima. “Não é um romance, muito menos uma epopeia, menos ainda uma crônica histórica.” Ao acompanhar o percurso de cinco famílias aristocráticas russas no período de 1805 a 1820, Tolstói narra a marcha das tropas napoleônicas e seu impacto brutal sobre a vida de centenas de personagens. Em meio a cenas de batalha, bailes da alta sociedade e intrigas veladas, destacam-se as figuras memoráveis dos irmãos Nikolai e Natacha Rostóv, do príncipe Andrei Bolkónski e de Pierre Bezúkhov, filho ilegítimo de um conde, cuja busca espiritual serve como espécie de fio condutor e o torna uma das mais complexas personalidades da literatura do século XIX. Ao descrever o cotidiano e os grandes acontecimentos que se sucederam à invasão de Napoleão em 1812, Tolstói retrata uma Rússia magistral, imponente e, sobretudo, profundamente humana.

 

Do éden ao divãde Moacyr Scliar, Patricia Finzi e Eliahu Toker (tradução de Natalio Mazar e Ayala Kalnicki e Suzana Spíndola)

Originalmente publicado em 1990 e relançado no ano em que Moacyr Scliar completaria oitenta anos em edição especial com novas ilustrações, este livro é mais do que uma antologia de piadas e anedotas. Assim como o humor evidencia traços essenciais do éthos judaico, Do Éden ao divã retraça a história do povo hebreu e permite um panorama religioso e cultural de seu pensamento. Passagens bíblicas e do Tamuld, ditados, piadas, citações literárias, ilustrações, tudo é matéria-prima para o riso quando perscrutado pelos olhos de Moacyr Scliar, Patricia Finzi e Eliahu Toker, cuja erudição se combina ao bom-humor para trazer ao leitor brasileiro esta brilhante antologia.

 

Cartas brasileirasde Sérgio Rodrigues (organização)

Intrigas, confissões, ameaças, estratégias, declarações de amor. Descortina-se um universo inimaginável quando se lê a correspondência dos personagens marcantes da história do Brasil. Dando um novo olhar aos fatos já conhecidos e trazendo à luz missivas inéditas ou pouco difundidas, o jornalista Sérgio Rodrigues apresenta uma saborosa coletânea de oitenta cartas dignas de nota, recebidas ou enviadas por escritores, artistas e políticos — de Elis Regina a Olga Benário, de Chico Buarque a Santos Dumont, de Renato Russo a d. Pedro I —, entre outros personagens.
Ilustradas por fac-símiles e dezenas de fotos e acompanhadas por breves textos que contextualizam cada carta, as missivas conduzem o leitor por um deleitoso passeio pelos grandes momentos de nossa trajetória. Um convite irrecusável para conhecer o que há de melhor, mais original e imprescindível em nosso país — a partir dos olhos e da intimidade de figuras extraordinárias.

 

Doutor Jivagode Boris Pasternak (tradução de Sônia Branco e Aurora Fornoni Bernardini)

Publicado originalmente em 1957 fora da União Soviética, após ser banido pela censura do Partido Comunista, Doutor Jivago, que só seria lido por seus conterrâneos em 1987 — 27 anos após a morte de seu autor —, continua sendo o maior e mais importante romance da Rússia pós-revolucionária. Nele, Boris Pasternak traz à luz o drama e a imensidão da Revolução Russa pela história do médico e poeta Iúri Andréievitch Jivago em seu constante esforço de se colocar em consonância com a Revolução. Por seus olhos hesitantes o leitor testemunha a eclosão e as consequências deste que foi um dos eventos mais decisivos do século. Em tempos em que a simples aspiração a uma vida normal é desprovida de qualquer esperança, o amor de Jivago por Lara e sua crença no indivíduo ganham contornos de um ato de resistência. Seguindo a grande tradição do romance épico russo, Pasternak evoca um período historicamente crucial e nele retraça um panorama completo da sociedade da época. 

 

Objetiva

Inspiraçõesde Marina Ruy Barbosa

Marina Ruy Barbosa aceitou um convite para ler poesia durante dois anos e recomendar o que a inspirasse para os milhões de seguidores que a acompanham diariamente no Instagram. Capturada pela obra de Carlos Drummond de Andrade, Hilda Hilst, Manoel de Barros, Mario Quintana, Paulo Leminski e Vinicius de Moraes, entre outros grandes nomes da poesia brasileira clássica e contemporânea, Marina foi além. A descoberta de livros e poemas resultou na construção de um diário compartilhado, que oferece muito mais do que os posts instantâneos que inundam as redes sociais. Com essas leituras, Marina conseguiu inspiração para reflexões pessoais e acabou revelando sentimentos e opiniões sobre temas universais que permeiam sua vida.

 

 Seguinte

Últimas mensagens recebidas, de Emily Trunko (tradução de Fabricio Waltrick e ilustrações de Ale Kalko)

A partir de contribuições anônimas, a jovem Emily Trunko reuniu nesta coletânea mensagens que contam histórias reais sobre os mais variados tipos de despedida: o fim de uma amizade, o término de um relacionamento ou até mesmo um acontecimento trágico que muda a vida do destinatário e do remetente para sempre. Enviadas por celular, por e-mail ou pelas redes sociais, essas mensagens narram perdas profundas e inspiram muita reflexão. Será que não deveríamos expressar mais o amor que sentimos pelas pessoas enquanto isso ainda é possível? Ou, em alguns casos, nos afastar o quanto antes daquelas que nos fazem mal?

 

Dias de despedidade Jeff Zentner (tradução de Guilherme Miranda)

"Cadê vocês? Me respondam." Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto.
Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?

 

Alfaguara

Crônica do pássaro de corda, de Haruki Murakami (tradução de Eunice Suenaga)

Toru Okada é um jovem casado e sem filhos, que leva uma vida banal em Tóquio. Quando seu gato desaparece, ele vê seu cotidiano se transformar. A partir disso, personagens cada vez mais estranhos começam a aparecer, transformando a realidade em algo digno de sonho. Com seus fantasmas invadindo o mundo real, Toru Okada é obrigado a enfrentar os problemas que carregou consigo por toda a vida. Conjugando os elementos mais marcantes da obra de Haruki Murakami, Crônica do Pássaro de Corda fala sobre a efemeridade do amor, a maldade que permeia a sociedade moderna e o legado violento que o Japão trouxe de suas guerras. Cativante, profético, cômico e impressionante, é um tour de force sem paralelos na literatura atual.

 

Companhia das Letrinhas

O santinhode Luís Fernando Verissimo (ilustrações de Luisa Moritz Kon)

Em Santinho, o autor narra a história cheia de humor sobre um garoto que aparentemente servia de exemplo para toda a classe — mas, para ele, ser bem-comportado em aula não era uma decisão sua nem nada de que se orgulhasse. Era apenas o seu temperamento. A verdade é que ele era preguiçoso, nunca aprendia nada e vivia distraído. Mas em questão de comportamento, dez. Dona Ilka, a professora, que vivia no seu pé, sempre lhe lançando olhares de esguelha, certa de que ele não passava de um santinho do pau oco… Já em Conversa nos deliciamos com as mentiras que os estudantes diziam para os porteiros, para entrar como penetra nos bailes noturnos do clube da cidade, proibidos para menores de idade.
Luis Fernando Verissimo resgata para o leitor episódios e personagens que fazem parte de uma época que todos guardam, com saudade, para sempre num cantinho da memória.

 

Como o Grinch roubou o natalde Dr. Seuss (tradução de Bruna Beber)

O Grinch é uma criatura verde e peluda que destesta o Natal com todas as forças. Ele não suporta a felicidade dos Quem com suas festanças e "banquemtes", e resolve acabar com a festa de uma vez por todas. Mas talvez o Grinch perceba que o verdadeiro signifcado do Natal vai muito além de comemorações e presentes. Esta história reconfortante sobre o espírito do Natal é capaz de conquistar até o mais frio e menor dos corações. Grinch já é um personagem clássico do Natal, e sua história é um presente perfeito para todas as idades.

 

A vingança de Charles Tiburonide João Ubaldo Ribeiro (ilustrações de Victor Tavares)

Juva, Bolota, Mino, Tonhão, Quica e Neneca são agentes secretos do Centro de Contraespionagem Danger People. Um dia, eles desvendam uma conspiração submarina envolvendo tubarões fardados, lagostas falantes, um presidente-baleia cheio de pompa e enormes siris, a bordo da Gavião dos Mares, uma nave mágica capaz de levá-los até as profundezas do oceano, os meninos se deparam com um inimigo cruel: o temido tubarão-general Charles Tiburone — e só os mais corajosos e espertos serão capazes de sobreviver! João Ubaldo Ribeiro, um dos mais importantes nomes da literatura brasileira, convida os leitores jovens a pensar em questões como democracia, revolução e ditadura, que são o pano de fundo desta divertida incursão ao fundo do mar. 

 

Companhia de Mesa

A química dos bolos, de Joyce Galvão

É difícil (para não dizer impossível!) encontrar uma pessoa que não se derreta com um bolo recém-saído do forno ? pense num de fubá, ainda quentinho, recebendo uma chuva de açúcar com canela que se dissolve preguiçosamente. Ou num daqueles bem fofinhos, de banana, nadando em um rio de brigadeiro ou de caramelo. Hummm… Não existe dieta nem mau humor que resista a uma fatia. Apesar disso tudo, fazer um bolo não é tão simples. Além de escolher bons ingredientes, também é útil conhecer alguns segredinhos e entender a química e a ciência por trás dos processos de uma receita. Com anos de prática, paixão pelo que faz e conhecimento científico de sobra, Joyce Galvão ensina as receitas que marcaram sua vida e os truques infalíveis que tem escondidos na manga. E mais: retoma histórias e sabores tipicamente brasileiros para fazer uma confeitaria que tem o gostinho de casa.

 

Portfolio-Penguin

O fim do círculo viciosode Márcio Fernandes

Em seu primeiro livro, o best-seller Felicidade dá lucro, Márcio Fernandes apresentou a origem e os pilares fundamentais da Filosofia de Gestão (FG), método criado por ele e que defende a felicidade no ambiente de trabalho como ferramenta para o sucesso. Em O fim do círculo vicioso, o empresário eleito duas vezes pela revista Você S/A como o líder mais admirado do Brasil ensina a aplicar a FG no dia a dia, começando pelo rompimento da inércia para ser o responsável pela direção da própria vida. Em cada capítulo, Márcio fala de uma etapa desse processo de evolução profissional e pessoal, demonstrando práticas, relatando exemplos reais e tirando dúvidas. Márcio ensina a transformar dificuldades em possibilidades, a trazer à tona o que tem de bom e a derrubar barreiras para manter o equilíbrio entre as dimensões da afetividade e da efetividade. Em tempos de crise, uma ferramenta acessível e inspiradora para vencer o pessimismo e virar o jogo.

 

Reimpressões

Judas, de Amós Oz (tradução de Paulo Geiger)

Coração de tinta, de Cornelia Funke (tradução de Sonali Bertuol)

D. Pedro II, de José Murilo de Carvalho

Meio sol amarelo, de Chimamanda Ngozi Adichie (tradução de Beth Vieira)

Os Románov, de Simon Sebag Montefiore (tradução de Denise Bottmann, Donaldson M. Garschagen, Claudio Carina, Renata Guerra e Rogério W. Galindo)

Dias perfeitos, de Raphael Montes

Lima Barreto: Triste visionáriode Lilia Moritz Schwarcz

Por lugares incríveis, de Jennifer Niven (tradução de Alexandra Esteche)

À espera de um milagre, de Stephen King (tradução de M. H. C. Côrtes)

Lolita, de Vladimir Nabokov (tradução de Sergio Flaksman)

Neste post