" />

CelebraLetras | 34 anos de Companhia das Letras

Um ano difícil está acabando. Ano com alto número de mortes, com atentados à vida e à democracia em vários países. Ano em que perdemos direitos, amigos e amigas, mas ganhamos em resiliência.

Hoje podemos nos perguntar se já houve algum tempo em que editores e livreiros não tiveram de enfrentar desafios enormes para o desempenho de sua profissão. Pois se nossas vidas já estão moldadas por esses embates, 2020 conseguiu se destacar — uma verdadeira corrida com obstáculos, muitos deles inéditos e inimagináveis.

Os livreiros, nossos parceiros, foram os mais prejudicados. Além de todas as dificuldades, ainda têm de lidar com um povo justamente receoso de frequentar espaços públicos e pouco seguro com as medidas governamentais.

Mesmo com tudo isso, ainda há o que celebrar. Os livros voltaram a sair do prelo, os consumidores os valorizaram, ficou mais claro do que nunca que estão entre os produtos fundamentais, sem os quais não vivemos.

Por isso a Companhia resolveu no final deste 2020 tão espinhoso realizar uma grande celebração do livro. Uma homenagem a esse ser bravo, lutador, mas ao mesmo tempo divertido e leve. Sim, é possível lutar com prazer, ensinar com leveza, pensar com generosidade e discutir ouvindo nossos interlocutores e interlocutoras.

Celebraletras também homenageia o livreiro e o leitor. Porque não existe celebração solitária. Agora só comemoramos o fim de 2020 virtualmente, mas torcendo para um combate eficaz e politicamente coerente do vírus, para comemorarmos no ano que vem com abundância de beijos, abraços e, claro... livros.

Luiz Schwarcz, editor da Companhia das Letras