" />

Comam goiabas

Noemi Jaffe

A Destruição de Sodoma e Gomorra, 1852 por John Martin

 

Ninguém sabe bem como a população pós-paraíso teria aumentado, já que os únicos habitantes eram Adão, Eva, Caim e Abel. A hipótese do incesto é uma alternativa lógica, ou, ao menos, matemática. Cam, filho de Noé, viu o pai embriagado e nu e, no lugar de cobri-lo, foi fofocar com os irmãos. Noé, quando soube do ocorrido, amaldiçoou o filho para sempre. Abrão teve um caso com a empregada, Agar e, ao descobrir o adultério, sua outra mulher, Sara, o obrigou a expulsar de casa a criada e o filho Ishmael. O mesmo patriarca, o mais ancestral, também levou o filho para o sacrifício, só abrindo mão de matá-lo quando surgiu o anjo para avisá-lo que se tratava de um blefe. A mãe de Esaú e Jacó ajuda o último a se fazer passar pelo primeiro, a fim de enganar o pai, Isaac. Os irmãos de José, filho de Jacó, vendem o caçula para uma tribo nômade, que o transforma em escravo. Voltando para casa, os onze irmãos mentem para o pai, mostrando a ele o coração de um animal como se fosse o de José. A mulher de Ló cometeu o pecado de olhar para trás, para ver por uma última vez sua cidade que queimava e, por isso, foi transformada numa estátua de sal. Moisés, tomado de soberba, tira leite da pedra, sendo por isso proibido de entrar na Terra Prometida. Já no novo testamento, Jesus, acometido de uma crise de normalidade mortal, pergunta a seu pai por que este o teria abandonado, enquanto sofre na cruz. Tomé, um dos seus apóstolos, precisava ver para crer, com isso renegando a fé cega que o próprio pastor pregava. Em suas cartas, Paulo apregoa que os escravos devem obedecer religiosamente aos seus senhores. Há alguns registros de poligamia no novo testamento e somente depois da morte de Jesus ela foi declarada proibida, já na época de Agostinho.

E ainda tem gente – muita – que usa a Bíblia como modelo de moral e de bons costumes. Não somente como modelo, mas também como paradigma fixo para condenação de determinadas práticas, como o adultério e a homossexualidade.

Não existem modelos fixos de moralidade, já que esta é um sistema em construção permanente, cujo única finalidade é a convivência pacífica entre membros de alguma comunidade. As regras que a constituem, tácitas, variam conforme o tempo e o lugar, se transformando de acordo com o conhecimento, os costumes, as tecnologias e as circunstâncias. Fixação e moral são termos contraditórios: o primeiro é neurótico, egoísta e autoritário. O segundo é coletivo e com fins pacíficos. A moral não é necessariamente algo nocivo. Ao contrário, ela existe para proteger os cidadãos, contanto que compreendida como processo, sujeita a mutações. Ela é um conceito público e, como tal, não se confunde com a vida privada.

Damares et alli, vão sonhar com Jesus na goiabeira e, de lá, ele dirá: comam goiabas, meus filhos, comam mais!

Noemi Jaffe é escritora, professora e crítica literária. Escreveu Não está mais aqui quem falouÍrisz: as orquídeas e O que os cegos estão sonhando?, entre outros. Dá aulas de escrita em seu espaço, a Escrevedeira.

Neste post