Editores e cientistas malucos

Lilia Moritz Schwarcz

Ian McEwan entregando o prêmio London Book Fair Lifetime Achievement a Luiz Schwarcz.

No último dia 14 de março, assisti à cerimônia de entrega do prêmio Lifetime Achievement. Trata-se de uma distinção conferida pela Feira de Livros de Londres aos publishers que mais se destacaram dentre a classe editorial. E nesse ano quem recebeu o prêmio foi Luiz Schwarcz.

É possível dizer que a honraria representa não só um grande reconhecimento ao trabalho dele frente à Companhia das Letras, como homenageia também a excelência do mercado editorial brasileiro. Afinal, essa é a primeira vez que um profissional fora do circuito norte-americano e europeu recebe uma distinção como essa.

Luiz foi recepcionado por Ian McEwan, que esteve no Brasil em outubro do ano passado para comemorar os 30 anos da Companhia das Letras. O escritor inglês comparou os editores a cientistas malucos, o que, no caso dele (que tem especial apreço por esses profissionais, e quanto mais aloprados melhor), tratou-se de imenso elogio. Ian também destacou a importância do Brasil, um país diverso e plural, segundo ele. Por fim, passou a descrever a importância da editora, e em especial do trabalho do Luiz.

Já o Luiz dedicou seu prêmio aos autores da Companhia das Letras e a todos os funcionários que nela trabalham.

Enfim, mesmo tendo a mais absoluta certeza de que sou (totalmente) suspeita, resolvi escrever esta pequena nota informativa, com o objetivo de atestar a importância da ocasião.

Me orgulho muito de fazer parte da história da Companhia das Letras e com o fato de o Luiz representar tão bem o Brasil nesse certame. Um país desigual, como ele mencionou em seu discurso, mas que batalha para superar suas dificuldades.

O incentivo à leitura é um caminho certeiro para alcançarmos a cidadania plena, a que todos têm direito; uma forma digna de fazer do Brasil uma verdadeira democracia.

Num momento em que a nação vive uma fase difícil, que tem levado a tanta descrença e insegurança, esse "prêmio de vida" a que o Luiz acaba de fazer jus só pode servir como inspiração e utopia.

Todos nós, quem sabe, nos parecemos um pouco com "cientistas malucos" na nossa capacidade criativa, vontade de ultrapassar problemas e chegar a soluções inesperadas.

* * *

Assista à um trecho do discurso de Luiz Schwarcz:

* * * * *

Lilia Moritz Schwarcz é professora titular no Departamento de Antropologia da USP, além de autora de O espetáculo das raçasAs barbas do imperador (vencedor do prêmio Jabuti na categoria ensaio), D. João carioca (em coautoria com Spacca) e O sol do Brasil (vencedor do prêmio Jabuti na categoria biografia), entre outros. Em abril, lançou com Heloisa Starling Brasil: Uma biografia.

Neste post
Acesse a Letrinhas nas redes sociais