" />

Exílio e assassinato de um revolucionário

Em Tróstski, Bertrand M. Patenaude apresenta a trágica e fascinante biografia de Leon Trótski, tendo como ponto de partida seu exílio no México, entre 1937 e 1940, quando é assassinado.

Trótski à sua escrivaninha em seu escritório, inverno de 1939-40

Os últimos anos da vida de Trótski são intercalados com flashbacks que recuperam eventos decisivos de sua heróica trajetória, como líder bolchevique, rival e depois inimigo mortal de Stálin. Em paralelo aos planos stalinistas para matar Trótski, Patenaude lança luz sobre as tumultuadas relações do líder revolucionário com o casal de pintores Diego Rivera e Frida Kahlo - que incluiram um caso amoroso com Frida.

Trótski e Natália, sua mulher, num piquenique no inverno de 1939-40

Em 1933, o jovem escritor belga Georges Simenon entrevistou Trótski. O blog Socialista Morena traduziu e publicou a entrevista com fotos inéditas e comentários do revolucionário. Leia um trecho abaixo:

Saiba mais sobre o livro Tróstski, de Bertrand M. Patenaude em nosso site: http://www.zahar.com.br/livro/trotski

 

Neste post