Semana quatrocentos e sessenta e seis

Companhia das Letras

O fazedor de velhos 5.0, de Rodrigo Lacerda

Mais de uma década depois da publicação do aclamado O fazedor de velhos, Rodrigo Lacerda retoma a história de Pedro nesta sequência extraordinária. Um sensível e brilhante romance de formação.

Prestes a completar cinquenta anos, parte da vida adulta de Pedro já se passou, e, como costuma acontecer, incluiu um punhado de tristezas e fracassos. Seu casamento com Mayumi não correu como o esperado, mas eles tiveram três filhos: Carlos, o mais velho, é também o mais problemático; Estela, a do meio, é uma estudante universitária, politicamente engajada e confrontada com um grande desafio de amadurecimento; e André, o caçula, é, nas palavras do pai, "uma mistura química de resultados imprevisíveis". A eles se juntam novos e incríveis personagens, como Filomena, uma milionária excêntrica, de coração ainda maior do que sua conta bancária; Rodolfinho "Puccini", um editor e colecionador de arte; e, por fim, José Roberto, o namorado de Estela, líder estudantil em um cenário político conturbado, que guarda ecos das manifestações de 2013 e de tudo que o Brasil viveu desde então. Embora este O Fazedor de Velhos 5.0 seja independente do livro anterior, o leitor terá a chance de constatar, não sem ternura, que a autodescoberta e o amadurecimento se dão em todas as idades. Nunca cessamos de aprender e de mudar – é o que parece nos dizer a todo momento este romance emocionante, escrito por um dos principais autores da literatura contemporânea brasileira.

 

Reimpressões

Batendo à porta do céu, de Lisa Randall

Boca do inferno, de Ana Miranda

A mulher que escreveu a Bíblia, de Moacyr Scliar

Cultura e imperialismo, de Edward W. Said

O Deus das pequenas coisas, de Arundhati Roy

O foco triplo, de Peter Senge

 
Neste post
Acesse a Letrinhas nas redes sociais