" />

Ser mãe hoje – para a nova geração

*Por Lulli Milman e Julia Milman, autoras de A vida com crianças

Ainda que mãe seja um cargo vitalício e todas as que o ocupam mereçam atenção e solidariedade, esse texto foi escrito exclusivamente para as recém-chegadas ou há poucos anos na função.

Hoje em dia, as transformações na política e na economia e, consequentemente, nas relações e nos papéis ocupados por cada um na organização familiar, são de tal forma marcantes que deixam as mães contemporâneas, e também pais e cuidadores em geral, mais do que nunca em um estado de desamparo.

Antes a família era vertical, hierárquica, os pais ocupavam um lugar privilegiado. Hoje, há o olhar para a criança, que passa a ser um sujeito de direitos. Se por um lado essa transformação é extremamente positiva, por outro, os pais têm tido dificuldade em ocupar o lugar de sustentação e cuidado que lhes compete. Um dos fatores de influência para tal dificuldade é que em um universo dominado pelo consumo todos são igualados como mercadoria. Os ideais se deslocaram do respeito à tradição, ao conhecido, aos mais velhos, para a busca desesperada do mais novo, do mais perfeito, do descartável. E, portanto, sempre insuficiente e insatisfatório. E ai que medo de nossos filhos também caírem nessa categoria!